Posted by : Executive Consultoria Jr. sexta-feira, 17 de maio de 2013


Companhia não conseguiu a rentabilidade desejada para vencer lotes no leilão de transmissão de energia da semana passada

Eletrobras não conseguiu a rentabilidade desejada para vencer lotes no leilão de transmissão de energia da semana passada e está concentrada na melhoria da rentabilidade do grupo, disse nesta sexta-feira o diretor de Finanças da estatal, Armando Casado.
Trabalhadores removem partes de um poste de energia para reconstruir a linha de transmissão na cidade de Meckenheim, na Alemanha"Estamos procurando negócios bons, rentáveis. O foco econômico-financeiro virou um pilar muito importante para nós. Acredito que agora a gente está encontrando as soluções para mostrar ao mercado que estamos fazendo um trabalho para valorização da companhia", disse Casado, em teleconferência com analistas sobre o resultado do grupo no primeiro trimestre.
O leilão de transmissão realizado na semana passada contou com uma participação mais comedida da Eletrobras em relação às competições anteriores, o que surpreendeu agentes do setor. No leilão, outras tradicionais companhias do setor não participaram e espanholas foram as grandes vencedoras.
Casado disse que a Eletrobras está muito concentrada na melhoria da rentabilidade do grupo, que trabalha agora com uma nova realidade de receita após a redução decorrente da renovação antecipada e condicionada de concessões do setor elétrico que venceriam de 2015 a 2017.
"Temos que ter cuidado na expansão dos nossos investimentos, porque agora termos que ser certeiros na rentabilidade desses novos negócios", disse o executivo.
O Grupo Eletrobras deve ter uma redução anual de receita de cerca de 8,7 bilhões de reais após a renovação das concessões e prepara um plano de reestruturação.
A companhia também ainda aguarda uma indenização adicional a receber por investimentos não amortizados em ativos de transmissão de energia existentes até maio de 2000 e que foram renovados. Casado disse que a previsão é apresentar ao governo até setembro a reivindicação quanto a valores residuais a receber, sendo que até dezembro esses montantes devem ser contabilizados no balanço da companhia.
O plano de incentivo ao desligamento da Eletrobras, que faz parte do programa para reduzir custos e melhorar a eficiência do grupo, foi aprovado pelo governo federal nesta semana, segundo Casado. A aprovação era necessária para que o plano fosse efetivamente implementado.
Segundo Casado, no próximo trimestre a empresa deve ter mais informações sobre o impacto e provisão necessária para o plano de demissão voluntária.
Executivos da empresa já haviam mencionado um custo total entre 1,4 bilhão e 2 bilhões de reais para o plano, com adesão de pelo menos 5 mil funcionários.
Distribuidoras
A Eletrobras considera que poderá participar de um aumento de capital para manter a participação na Cemat, caso o processo ocorra após a mudança de controle da empresa.
A distribuidora de energia do Mato Grosso que pertence ao Grupo Rede Energia está em processo de intervenção e a empresa deve ser adquirida por CPFL Energia e Equatorial. A Eletrobras tem uma fatia total de cerca de 40,9 por cento na Cemat, segundo dados de dezembro de 2012.
A estatal não participou do aumento de capital realizado na Celpa, distribuidora paraense que também era controlada pelo Grupo Rede e tem a Eletrobras como sócia minoritária. Após processo de recuperação judicial, a Celpa foi assumida pela Equatorial.
Segundo Casado, a Eletrobras não conseguiu avançar nas negociações para transformar os créditos que tinha com a Celpa em capital e decidiu não participar do processo.
Fonte: Revista exame

Leave a Reply

Subscribe to Posts | Subscribe to Comments

- Copyright © Executive blog - Notícias e Informações de Administração -Metrominimalist- Powered by Blogger - Designed by Johanes Djogan -